Crise Iminente na SEFAZ-MA: Servidores do Grupo TAF Entregarão Funções Estratégicas

Insatisfeitos com o governo, os servidores do grupo TAF (Auditores Fiscais da Receita Estadual e Agentes da Receita Estadual) estão prestes a “entregar” Projetos Estruturantes cruciais da Secretaria da Fazenda do Maranhão (SEFAZ-MA).

A decisão, tomada em Assembleias dos sindicatos SINDAFTEMA e SINTAF em 24/01/2024, indica uma insatisfação profunda de ambas categorias.

A entrega das funções estratégicas, responsáveis por liderança especial e ação estratégica, comissões temáticas e representação do estado em grupos de trabalho no âmbito do Confaz, tem potencial para impactar projetos como PROFISCO II e PROFISCO III, financiamentos oriundos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A desobrigação do exercício dessas funções está marcada para 07 de fevereiro.

É crucial destacar que as entidades sindicais haviam comunicado antecipadamente essa decisão por meio de ofícios. A medida reflete a desvalorização crescente do trabalho dos servidores do Grupo TAF, que enfrentam a falta de perspectivas de melhoria salarial e condições de trabalho precárias, além de perda de mais de 50% dos Auditores Fiscais do último concurso, para outros fiscos do Brasil. O cenário desenhado pela entrega de funções pode se agravar se o governo do Maranhão não se mobilizar. Está marcada para o final do mês de fevereiro a entrega dos cargos de chefia, acendendo alertas sobre o futuro da gestão fiscal estadual.

Crise Iminente na SEFAZ-MA: Servidores do Grupo TAF Entregarão Funções Estratégicas

Insatisfeitos com o governo, os servidores do grupo TAF (Auditores Fiscais da Receita Estadual e Agentes da Receita Estadual) estão prestes a “entregar” Projetos Estruturantes cruciais da Secretaria da Fazenda do Maranhão (SEFAZ-MA). A decisão, tomada em Assembleias dos sindicatos SINDAFTEMA e SINTAF em 24/01/2024, indica uma insatisfação profunda de ambas categorias.

A entrega das funções estratégicas, responsáveis por liderança especial e ação estratégica, comissões temáticas e representação do estado em grupos de trabalho no âmbito do Confaz, tem potencial para impactar projetos como PROFISCO II e PROFISCO III, financiamentos oriundos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A desobrigação do exercício dessas funções está marcada para 07 de fevereiro.

É crucial destacar que as entidades sindicais haviam comunicado antecipadamente essa decisão por meio de ofícios. A medida reflete a desvalorização crescente do trabalho dos servidores do Grupo TAF, que enfrentam a falta de perspectivas de melhoria salarial e condições de trabalho precárias, além de perda de mais de 50% dos Auditores Fiscais do último concurso, para outros fiscos do Brasil. O cenário desenhado pela entrega de funções pode se agravar se o governo do Maranhão não se mobilizar. Está marcada para o final do mês de fevereiro a entrega dos cargos de chefia, acendendo alertas sobre o futuro da gestão fiscal estadual.

Fonte: SINDAFTEMA

Comunicação/MCZ/Pública/2024

Rolar para cima