Governo anunciou o NOVO valor do piso salarial da Enfermagem

Finalmente os profissionais da enfermagem podem comemorar, pois a definição do piso salarial para a classe saiu.

Há meses, os profissionais da área de Enfermagem lutam para conseguirem acesso a um piso salarial. A mudança era importante não só para enfermeiros, mas também para parteiras e técnicos, que aguardavam uma resolução. Após muita discussão, o presidente Lula (PT) finalmente sancionou o projeto que cria o piso salarial para a classe.

Dessa forma, se você é enfermeiro ou de áreas relacionadas, confira abaixo algumas informações sobre os novos valores e fique atento às mudanças que devem ocorrer em breve.

Empregadores resistem em liberar valor do piso

No dia 20 de junho, Simone Tebet, ministra do Planejamento, anunciou que os trabalhadores da área da Enfermagem teriam um novo valor de incentivo pela sua atuação. Segundo informações da ministra, através de suas redes sociais, o Orçamento do próximo ano vai incluir R$ 11 bilhões em recursos da União como forma de apoio aos profissionais da Enfermagem dos estados e municípios.

Isso deve acontecer principalmente porque, após a definição dos novos valores, os pagamentos vão subir. Dito isso, não somente as instituições públicas, mas também as empresas privadas e filantrópicas deverão se comprometer com o novo valor do piso da Enfermagem.

Com a mudança, os valores necessários para manter os enfermeiros, as parteiras e os técnicos vão subir. Por essa razão, receber um auxílio do Governo Federal para custear o pagamento dos profissionais vai permitir que não haja corte de funcionários, nem dificuldade em repassar os salários.

Novo valor para profissionais de Enfermagem pode gerar desemprego?

Ademais, mesmo que o Supremo Tribunal Federal (STF) tenha liberado o pagamento do piso para a Enfermagem em 15 de junho, diversos empregadores estão resistindo à ideia de entregarem os valores aos funcionários. Como parte da justificativa, eles afirmam que faltam recursos para pagar os salários novos, implicando que há risco de corte de pessoal devido a isso.

Apesar disso, para a economista e pesquisadora do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho (Cesit), Marilane Teixeira, a instituição dos pisos salariais traz avanços importantes, pois valoriza as ocupações e melhora o rendimento do trabalho.

Ou seja, seria importante que os empregadores enxergassem o pagamento dos novos salários como um investimento, não como um gasto. Além disso, de acordo com o documento que o STF aprovou, o pagamento tanto dos estados como dos municípios deverão contar com os recursos da União, de forma que não haverá risco de demissões por falta de dinheiro.

Em relação à iniciativa privada, uma alternativa é fazer uma negociação coletiva, que poderia permitir o pagamento abaixo do piso, como uma forma de evitar as demissões.

Por fim, para se ter ideia, após as mudanças, os pagamentos para os profissionais da área da Enfermagem ficam da seguinte forma:

Enfermeiros

Salário de R$ 4.750,00;

Técnicos de enfermagem

Salário de R$ 3.325,00;

Auxiliares de enfermagem e parteiras

Salário de R$ 2.375,00.

Fonte: Pronatec

Comunicação/Cal/Pública/2023 

Rolar para cima