Associação Brasileira de Imprensa vê crime nas ações de Bolsonaro com relação ao Coronavírus

 

A ABI (Associação Brasileira de Imprensa) divulgou nota hoje em que chama de “criminosa” a atitude do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao receber jornalistas e retirar a máscara durante entrevista concedida mais cedo, quando já sabia estar infectado pelo novo coronavírus. A entidade informou que vai entrar com uma notícia-crime no STF (Supremo Tribunal Federal) contra o chefe do Executivo. Segundo o órgão, Bolsonaro infringiu dois artigos do Código Penal: o 131, que prevê ato criminoso ao “praticar, com o fim de transmitir a outrem moléstia grave de que está contaminado, ato capaz de produzir o contágio”, e o 132, que fala sobre quem expõe “a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente”

“Não é possível que o país assista sem reação a sucessivos comportamentos que vão além da irresponsabilidade e configuram claros crimes contra a saúde pública”, disse a ABI em nota assinada por seu presidente, Paulo Jerônimo.

Bolsonaro recebeu três emissoras de TV Bolsonaro falou com profissionais da TV Brasil, RecordTV e CNN Brasil na manhã de hoje, quando anunciou o resultado positivo de seu teste para a covid-19.

“Começou domingo, com uma certa indisposição, se agravou na segunda-feira, com cansaço, indisposição e febre de 38 graus. O médico da presidência, apontando a contaminação por covid-19, fui fazer uma tomografia no hospital. Equipe médica decidiu dar hidroxicloroquina e azitromicina. Como acordo muito durante a noite, depois da meia-noite senti uma melhora, às 5 da manhã tomei a segunda dose e estou me sentindo bem”, disse Bolsonaro. Em nota oficial, a Secretaria Especial de Comunicação Social disse que o estado de saúde do presidente é “bom”. “O resultado do teste de covid-19 feito pelo presidente Jair Bolsonaro na noite dessa segunda-feira, 6, e disponibilizado na manhã de hoje, 7, apresentou diagnóstico positivo. O presidente mantém bom estado de saúde e está, nesse momento, no Palácio da Alvorada”, disse o comunicado. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal enviou um ofício aos veículos de comunicação pedindo a suspensão da cobertura presidencial. Caso os profissionais que estiveram com o presidente hoje recebam resultado positivo para o novo coronavírus, o sindicato não descarta acionar Bolsonaro na Justiça .

Leia a íntegra da nota da ABI:

ABI: Bolsonaro comete mais um crime Mesmo informado de que estava infectado com o Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro continua agindo de forma criminosa e pondo em risco a vida de outras pessoas. Nesta terça-feira, rompendo o isolamento recomendado pelos médicos, recebeu jornalistas de veículos que considera alinhados com suas políticas para informar pessoalmente que está contaminado com o coronavírus. Na ocasião, o presidente esteve próximo dos jornalistas e chegou a retirar a máscara. Com essa atitude, infringiu o Código Penal, que, em seu artigo 131, que diz: “Praticar, com o fim de transmitir a outrem moléstia grave de que está contaminado, com o coronavírus. Na ocasião, o presidente esteve próximo dos jornalistas e chegou a retirar a máscara. Com essa atitude, infringiu o Código Penal, que, em seu artigo 131, que diz: “Praticar, com o fim de transmitir a outrem moléstia grave de que está contaminado, ato capaz de produzir o contágio. Pena: reclusão, de um a quatro anos, e multa.” Bolsonaro infringiu também o artigo 132 do mesmo código, que prevê pena de detenção de três meses a um ano para quem expuser “a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente”. Não é possível que o país assista sem reação a sucessivos comportamentos que vão além da irresponsabilidade e configuram claros crimes contra a saúde pública.

Diante dessa situação, a ABI está entrando com uma notícia-crime no Supremo Tribunal Federal contra o presidente.

Paulo Jeronimo – Presidente da ABI 

A Pública Central do Servidor tem seu radar de preocupação estendido ao risco que os Servidores Públicos são submetidos diariamente, principalmente os que estão à frente da grande batalha pela vida nas UTIs dos hospitais cuidando das vítimas da Covid-19.

A conduta irresponsável do Chefe da Nação ajuda a disseminar não só o terrível vírus, mas uma sensação de falsa imunidade, principalmente para os seus seguidores contumazes que têm a tendência de “obedecê-lo”, colocando suas vidas no pacote dos possíveis contaminados. O que se espera do presidente é que siga as orientações das autoridades de Saúde do Mundo em prol da prevenção necessária para o controle da doença no Brasil, mas o que vemos são constantes demonstrações de desdém. A Pública, inclusive no último final de semana, de 3 a 5/7 participou da grande campanha “Brasil pela Democracia e pela Vida”, cujo tema relacionado à Pandemia foi debatido por todas as Entidades envolvidas.

Comunicação/Cal/Pública/2020

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*