Senado espera liberação de R$ 4,5 bi do Planalto em contrapartida a pautas polêmicas

Dinheiro seria usado para o abastecimento de ministérios e para atender ao pedido de senadores por verbas para suas bases eleitorais

O Senado aguarda para os próximos dias a abertura de crédito suplementar de cerca de R$ 4,5 bi por parte do presidente Jair Bolsonaro. O dinheiro será usado para o abastecimento de ministérios e para atender ao pedido de senadores por verbas para suas bases eleitorais. O requerimento foi encaminhada pelo presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM), que avalia não ser possível enviar tantas matérias polêmicas ao Congresso sem uma contrapartida oferecida pelo Planalto. As informações são da Folha de S.Paulo.

Entre as pautas consideradas polêmicas que serão debatidas pela Casa estão a indicação do novo procurador-geral, Augusto Aras e a aprovação da Reforma da Previdência, bem como a nomeação do deputado federal Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador nos Estados Unidos. O combinado é que o crédito extra seja liberado antes de a indicação do filho do presidente chegar ao Parlamento.

De acordo com o jornal, há um especial interesse dos senadores no direcionamento de verbas para programas como Minha Casa Minha Vida e Luz para Todos – o intuito é reunir recursos dispersos em emendas e elevar o volume disponível para essas rubricas, permitindo que parlamentares indiquem suas prioridades. O pedido por cargos também não teria se esgotado.

O pacote de bondades com os congressistas segue a todo vapor e como foi prometido para os Deputados, não será diferente para os Senadores por conta da votação da reforma da Previdência. Vivemos dias em que as táticas que o governo atual reprovava em gestões anteriores, hoje foram institucionalizadas sem riscos para os novos mandatários. A Pública mantém atenção constante nas práticas que ferem os direitos dos servidores públicos e da sociedade brasileira.

Fonte: Folha
Foto: Waldemir Barreto/ Agência Senado

Comunicação/Pública/2019

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*