Centrais Sindicais definem data de mobilização nacional

Na manhã desta sexta-feira (28) diretores das centrais estabeleceram que o dia 12 de julho será o Dia Nacional de Manifestação em Defesa da Previdência e Coleta de Assinaturas, ato unificado das centrais e movimento estudantil. Na mesma data, será realizado o Congresso da UNE (União Nacional dos Estudantes), com expectativa de mais de 20 mil estudantes em Brasília. As decisões pelas pautas de mobilização foram definidas em reunião realizada na sede do Dieese, em São Paulo. Além da Pública – Central do Servidor, estiveram presentes CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST, CSB, CGTB, CSP – Conlutas – Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora e Intersindical – Central da Classe Trabalhadora.

As Centrais determinaram que não será realizado nenhum grande ato nas cidades, mas um dia de mobilização e coleta de assinaturas do abaixo-assinado contra a Reforma da Previdência. O prazo para recolhimento nas sedes das centrais será dia 8 de agosto, já contabilizadas. O grande ato de entrega será no dia 13 de agosto no Congresso Nacional e a meta estabelecida é que sejam coletadas 1 milhão de assinaturas.

O presidente da Pública José Gozze ressaltou que a coleta deverá ser feita durante todo o mês de julho em praças, terminais de ônibus, saídas de metrôs e aeroportos. “Mesmo que os deputados estejam em recesso após o dia 17, todos precisam ver que a sociedade está mobilizada contra o fim da previdência”, ressaltou Gozze.

Confira abaixo os pontos decididos na reunião:

Centrais sindicais mobilizadas:
Contra o fim da aposentadoria, pela valorização da educação e por emprego
As Centrais Sindicais, reunidas em São Paulo em 28 de junho, avaliaram os resultados do importante trabalho feito pelos sindicalistas com os parlamentares dos partidos da minoria e partidos do centro na Câmara dos Deputados, para debater o conteúdo da Reforma da Previdência e o processo legislativo de votação. Neste processo, as entidades reafirmaram o posicionamento contrário e crítico ao relatório substitutivo do deputado Samuel Moreira.
As Centrais alertam que os trabalhadores e as trabalhadoras devem se manter permanentemente vigilantes e destacam a importância de se reforçar a atuação junto ao Congresso Nacional, visando tratar das questões e do conteúdo dessa nefasta reforma.

Nesse sentido, as Centrais Sindicais conclamam os trabalhadores e as trabalhadoras para o máximo esforço na atuação junto às bases dos deputados e senadores.
Na reunião do dia 28, o Fórum dos Trabalhadores do Setor Público de São Paulo entregou às Centrais abaixo-assinados com milhares de assinaturas.
No encontro, registrou-se o ataque que o Sindicato dos Metroviários de São Paulo vem recebendo da empresa e as demissões de trabalhadores metroviários. As Centrais Sindicais se solidarizaram com os trabalhadores e a entidade.
Os sindicalistas também manifestaram repúdio pelas práticas antissindicais observadas em outras unidades do país e em outros locais do estado e, por isso, as Centrais vão solicitar audiência com o governador de São Paulo para um diálogo no sentido de garantir o direito de organização e manifestação.


Os próximos passos unitários das Centrais serão os seguintes:
• Julho será o mês para intensificar, todos os dias, nos locais de trabalho, nas praças e nos locais públicos, a coleta de assinaturas no abaixo-assinado contra o fim da aposentadoria. O prazo para conclusão da coleta de assinaturas é 4 de agosto. Solicitamos a todos que organizem atividades conjuntas de coleta das assinaturas.
• Prazo para a entrega dos abaixo-assinados na sede nacional da sua Central Sindical: 8 de agosto.
• Entrega do abaixo-assinado das Centrais no Congresso Nacional: 13 de agosto, em Brasília.
• Apoiar, valorizar e participar do Ato Nacional dos estudantes durante o Congresso da UNE, em Brasília, em 12 de julho, pela valorização da educação, incluindo a defesa da aposentadoria. No mesmo dia, a orientação é para que a classe trabalhadora se mobilize nos estados e nas cidades pela coleta de assinaturas dos abaixo-assinados.
• Apoiar e participar da Marcha das Margaridas em 14 de agosto, também em Brasília.
• Apoiar e participar da luta dos professores, coordenada pela CNTE, em 13 de agosto.

Por fim:
• Devemos continuar em estado de mobilização permanente com assembleias nos locais de trabalho para influenciar nas mudanças deste projeto e evitar que pontos críticos sejam reintroduzidos no texto, a fim de garantir uma aposentadoria digna para os trabalhadores e as trabalhadoras.
• Próxima reunião das Centrais Sindicais: 16 de julho.

CUT – Central Única dos Trabalhadores
Força Sindical
UGT – União Geral dos Trabalhadores
CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil
NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores
CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros
CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil
CSP – Conlutas – Central Sindical e Popular Conlutas
Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora
Intersindical – Central da Classe Trabalhadora
Pública – Central do Servidor

Abaixo o link para download do “abaixo assinado Nacional em Defesa da Previdência Social e das aposentadorias”.

http://publica.org.br/wp-content/uploads/2019/07/Abaixo-Assinado-com-todos-logos.pdf

A Pública Central do Servidor se faz presente em todos os atos em defesa dos direitos dos servidores públicos e da sociedade brasileira.

Comunicação/Pública

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*